segunda-feira, setembro 27, 2004

Mais do que loucura...

Estavamos nós a navegar na internet quando, por mero acaso, nos esbarramos com este poema, que achamos simplesmente.....sublime... Aqui fica, leiam-no com atenção e sintam-no, pois merece a pena...



Mais do que loucura
É a certeza de encontrar
Entre os teus dedos
A ternura que revejo nos teus olhos
A alegria das rosas
Em sangue no teu rosto
Mais do que tristeza
É a certeza de nos sabermos

Livres - presos -
A vontade que temos de ser nós
O desejo que contemos... incontido
Nos gestos perturbados...
Mais do que verdade
É a certeza de fazermos
Das palavras... uma espada.
A guerra que travamos é nossa
Sem manchas de sangue
Nem balas odiadas.


(João Moutinho)

4 comentários:

Mãozinhas disse...

Excelente... é bom ler frases que tem todo o sentido na vida ;) Então poesia não há melhor ;)
A Polegar

Hans Norhenberg Zwert disse...

"A loucura é o sonho de uma única pessoa.
A razão, é sem dúvida, a loucura de todos"
]hnz[
»Todo o júbilo desmedido repousa sempre na ilusão de ter encontrado na vida algo que não se pode encontrar realmente, isto é, uma satisfação durável dos desejos ou preocupações tormentosos e sempre renascentes. Mais tarde, é inevitável que nos separemos de cada ilusão dessa espécie, pagando-a então, quando desaparece, com igual dor amarga, independentemente da alegria que o seu surgimento nos tenha proporcionado.
Nesse sentido, ela assemelha-se por completo a uma altura da qual o único momento de descer novamente é a queda, de maneira que deveria ser evitada: e toda a dor repentina ou excessiva é justamente apenas a queda de tal altura, o esmorecimento de tal ilusão e, portanto, deve ser condicionada. Poder-se-ia, por conseguinte, evitar ambas, se se fosse capaz de abraçar as coisas de modo perfeitamente claro sempre na sua totalidade e na sua concatenação, e de impedir firmemente a si mesmo de lhes conceder de facto a cor que se desejaria que tivessem. A ética estóica visava essencialmente libertar o espírito de toda a ilusão semelhante e das suas consequências, e a dar-lhe, em vez disso, um equilíbrio inabalável.« (Arthur Schopenhauer, in 'A Arte de Ser Feliz')

"Não abandones as tuas ilusões.
Sem elas podes continuar a existir,
mas deixas de viver" ]hnz[

Anónimo disse...

Enjoyed a lot! »

Anónimo disse...

Where did you find it? Interesting read Ipod buy online payment plan Culinary+art+schools+in+maryland health insurance company 1950 kitchens 401k rollover Advice on taking acyclovir with allergy medicine http://www.live-answering-service-appliance.info sport medicina Ppc hannover buy tramadol Unususal body jewelry Teen financial planning videos Error cruise ship tycoon not running Garmin navigational systems Assorted business greeting cards voip Where to get breast gain natural enhancement Low priced clomid fertility drugs Area rugs surya dst-20