quinta-feira, setembro 23, 2004

Cantinho da Poesia...

Metade (dedico este poema a todos os que gostam de mim)

Que a força do medo que tenho
não me impeça de ver o que anseio
que a morte de tudo em que acredito
não me tape os ouvidos e a boca
pois metade de mim é o que eu grito
a outra metade é silêncio.
Que a música que ouço ao longe
seja linda ainda que tristeza
que a mulher que amo seja para sempre amada
mesmo que distante
pois metade de mim é partida
a outra metade é saudade.
Quer as palavras que falo
não sejam ouvidas como prece
nem repetidas com fervor
apenas respeitadas como a única coisa
que resta a um homem inundado de sentimentos
pois metade de mim é o que ouço
a outra metade é o que calo.
Que a minha vontade de ir embora
se transforme na calma e paz que mereço
que a tensão que me corrói por dentro
seja um dia recompensada
porque metade de mim é o que penso
a outra metade um vulcão.
Que o medo da solidão se afaste
e o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável
que o espelho reflicta meu rosto num doce sorriso
que me lembro ter dado na infância
pois metade de mim é a lembrança do que fui
a outra metade não sei.
Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
para me fazer aquietar o espírito
e que o seu silêncio me fale cada vez mais
pois metade de mim é abrigo
a outra metade é cansaço.
Que a arte me aponte uma resposta
mesmo que ela mesma não saiba
e que ninguém a tente complicar
pois é preciso simplicidade para fazê-la florescer
pois metade de mim é plateia
a outra metade é canção.
Que a minha loucura seja perdoada
pois metade de mim é amor
e a outra metade também.
Oswaldo Montenegro

A Polegar

11 comentários:

Mãozinhas disse...

humm gostei muito do poema.... E podes me chamar romantica, utópica ou simplesmente, estupida, mas eu axo k a humanidade se rege em função não do dinheiro, do bush ou do bin laden mas do AMOR!

Fura_Bolos

JoaquimGilVaz disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
JoaquimGilVaz disse...

Por falar em metades, lembrei-me de uma história que se passou c um amigo meu k tem a mania obcessiva das poupanças...fomos a um café e ele pediu uma tosta que custava 1euro, mas reparou k se pedi-se duas meias tostas cada uma a 45 cent. poupava 10 cent. ... entao pediu ao empregado duas meias tostas em vez de uma tosta...ao k o empregado o olhou c cara de idiota, e se rendeu à evidencia da sua estupidez...:P

moral da história: uma tosta mista é mais do que a soma das suas metades! O k só vem confirmar as teorias gestaltistas...

Mãozinhas disse...

Sue o poema tá xelente.Um verdadeiro retrato da minha condição Humana..Sublinho as partes:
" porque metade de mim é o que penso
a outra metade um vulcão.
"pois metade de mim é a lembrança do que fui ;a outra metade não sei."
"Que a minha loucura seja perdoada
pois metade de mim é amor
e a outra metade também."
Mindinha*

Walter disse...

Brilhante...e tal como tu, se me permites a ousadia, dedico este poema aos meus amigos! Metade de mim são vocês!a outra metade serei apenas eu com as minhas e as vossas recordações!

PS- traduzido em tostas isto significa que vocês são 45 cêntimos de mim! Deve ser o queijo e o fiambre :)

Mãozinhas disse...

Mario: és o nosso Panrico preferido***!!!!

Fura_Bolos

Mãozinhas disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Walter disse...

Nesse sentido então devo ser akele panrico sem côdea! Akele que só aparece o eskeleto, pq pelos vistos quase que desapareci qd vim dakela semanita de ferias no RITZ dos Covões! :):) Digas o que disseres, eu tou bem melhor "SEMPRE FRESCO E FOFO" :)
ups, acho que este slogan é do BIMBO
lol
Walter

Mãozinhas disse...

És Bimbo!!!??? E com muito gosto ;) Porque é assim que te adoramos :)
A Polegar

Anónimo disse...

best regards, nice info » »

Anónimo disse...

You have an outstanding good and well structured site. I enjoyed browsing through it video editing programs