quarta-feira, setembro 01, 2004

Cantinho da poesia

Somos os fazedores de música
E os sonhadores de sonhos,
Passeando pelos pontões solitários,
E descansando à beira de ribeiros desolados;
Perdedores que abandonaram o mundo,
Iluminados pela luz pálida do luar
E, contudo, neste mundo para sempre,
Tudo nas nossas mãos parece estar.
De maravilhosas e imortais canções
Construímos as nossas cidades,
E de uma fabulosa história
Criamos a glória de um império:
Um homem com um sonho
Investirá para conquistar uma coroa;
E três homens com uma melodia distinta
Podem esmagar um império.
Nós no tempo adormecidos,
No passado enterrado da terra,
Erguemos Nínive dos nossos suspiros,
E do nosso júbilo a própria Babel
E com as nossas profecias de um valoroso mundo novo
O velho derrubámos;
Pois cada era é um sonho que morre,
Ou outro prestes a nascer.

in "O Clube dos Poetas Mortos"

2 comentários:

Mãozinhas disse...

"O clube dos poetas mortos"... bem com isto está tudo dito com elas não posso acrescentar muito mais.
A Polegar :)

Anónimo disse...

Enjoyed a lot! » »