sexta-feira, janeiro 27, 2006

Heresia ao amor

No borbulhar da tua boca não ouço senão murmúrios vagos daquilo que alguma vez pensei ter ouvido na ousadia carente da minha alma...Agora so restam pedaços de almas destroçadas e acoçadas por ti ò amor...Com fio de pescador tentei coser de novo os pedaços dos nossos corações, mas foi em vão e a minha metade não serviu senão de isco para os medos, angústias e desilusões de amor...E assim me vão digerindo todos estes males...Tentei ainda acariciar a tua alma com sorrisos de pétalas de rosas, que mais não encontrarão o que sempre procuram...os seus espinhos dormentes pelo tempo...Lunaticamente vou-me perdendo no corredor da heresia ao amor, que quem sabe me levará a descobrir outros mundos, outras formas de amor, que não sejam as que nos fazem chorar enquanto sorrimos, que não nos façam gemer de dor e prazer, que nos mimem e ignorem, que nos acariciem o corpo mas não o façam à alma...Será possível um amor assim?Ou se for assim já não será amor?

Anelar

7 comentários:

Mãozinhas disse...

Se calhar já é outro tipo de amor... já não é o mesmo de outrora... Contudo, nada se perde tudo se transforma...

Polegar*

Walter disse...

Lindo rita...arrepiaste-me todo...genial mesmo! nao sei o que te move para escreveres assim, mas ´+e brutal!
um beijo enorme
walter

F4 disse...

Gostei imenso!Serão os exames a origem de textos tão belos?? Não me parece... Parabéns!

Azulinha

Anónimo disse...

That's a great story. Waiting for more. »

Anónimo disse...

Where did you find it? Interesting read » » »

Anónimo disse...

Enjoyed a lot! »

Anónimo disse...

You have an outstanding good and well structured site. I enjoyed browsing through it http://www.discount-meridia-8.info