domingo, novembro 14, 2004

Consequência de estar mal disposta....



Estou cansada de Ser.
Estou saturada de falar,
De rir às gargalhadas eufóricas,
De rir mesmo quando imploro por silêncio.

Estou cansada de respirar o fumo do Mundo,
De respirar os incensos e odores de perfumes nauseabundos.

Estou saturada de me deitar na cama à noite.
De me deitar com o estômago ácido e com a cabeça pesada,
De pôr o peso de tudo que sou e não sou na almofada,
De vestir todos os dias a roupa que não é minha mas que só me fica bem,
De calçar os sapatos apertados que ferem os dedos do pé.

Estou absolutamente cansada de Ser quem não sou,
Quem não quero Ser,
Quem desejam que eu fosse,
Quem penso que, na realidade…Sou.

Fura_Bolos

5 comentários:

Mãozinhas disse...

Pa ti mor:

O que há em mim é sobretudo cansaço
Não disto nem daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,
Cansaço.


A subtileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto em alguém.
Essas coisas todas
Essas e o que falta nelas eternamente;
Tudo isso faz um cansaço,
Este cansaço,
Cansaço.


Há sem dúvida quem ame o infinito,
Há sem dúvida quem deseje o impossível,
Há sem dúvida quem não queira nada
Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles:
Porque eu amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o possível,
Porque eu quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser
Ou até se não puder ser...


E o resultado?
Para eles a vida vivida ou sonhada,
Para eles o sonho sonhado ou vivido.
Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto...
Para mim só um grande, um profundo,
E, ah com que felicidade infecundo, cansaço,
Um supremíssimo cansaço.
Issimo, íssimo, íssimo,
Cansaço...

Álvaro de Campos

Mindinha***

Walter disse...

O que sinto não é cansaço de ser...sobretudo o que sinto é o supremo cansaço de ser ASSIM!

PS-Estiveste brilhante neste post
Walter

Mãozinhas disse...

Mas eu gosto de ti assim e tudo que vivemos é um meio de descobrir o que somos e o que fomos, é uma sublime forma de atingir o auge.

Bjs adorei É uma excelente forma de libertação

A Polegar

colormeonce disse...

cara fura_bolos (ou isabel), os meus parabéns por este belo poema.
sabes, nunca fui e nunca serei um grandes escritor. não sou dotado para as palavras. no entanto, quero fazer-me ouvir, quero que parem por instantes (estas palavras não são só para ti) e pensem... reformulando, não quero quer pensem... quero que sintam.
não vou usar um discurso elaborado, estruturado, vou fazer uma coisa simples. por vezes esquecemo-nos que a simplicidade, como conceito e como valor, é das coisas
mais belas e puras deste mundo.
estou a passar por uma fase dificil da minha vida que me faz questionar tudo. qual o sentido da vida, a existência, a racionalidade, tudo... a possibilidade de ficar só neste mundo. pensem na pessoa que vcês mais estimam nesta vida, não é uma pessoa, é A pessoa. agora imaginem que num futuro próximo ela poderá falecer e vocês têm conhecimento disso. e agora sintam... fechem os olhos e sintam... é devastador., sintam... um aperto na barriga... nauseas... o coração acelera... não é nada bom pois não? o que vos apetece fazer? telefonar a essa pessoa, falar com ela, estar com ela, fazê-la sorrir, nada mais interessa. o que nos leva a ter esta reacção? o amor, a amizade, a tão badalada sexualidade(que serve para quase tudo em psicologia)? não... reagimos assim porque temos medo. muito medo.
o amor, a amizade, e outras relações afectivas e emocionais, podem dar sentido à vida. mas só o medo nos faz sentir a vida. é o medo que nos faz estar aqui, sem medo não conseguiriamos sobreviver. seriamos uns seres humanos suicidas, não teríamos as noção de perigo. o medo é peça fundamental na nossa existência.
não quero viver sem medo, é o medo que me faz ver o quanto gosto de alguém,é o medo que me faz sentir horrorizado quando vejo crianças a morrer à fome, e o medo que me faz escrever este texto.
sei que posso estar a ser dramático, mas quero que sintam... quero que sintam a vida. estamos a perder essa caracteristica. a sociedade não deixa espaço para que possamos sentir.
podem não concordar comigo, e têm o direito de o fazer... mas pelo menos sintam algo... algo que vos faça sentir vivos...

Hans Norhenberg Zwert disse...

"Amanhã eu hei-de ser assim,
um lugar que um espelho ocupou.
A fantasia é muitas vezes
o que fica de mais autêntico numa criatura."
]hnz[

«entre dois espelhos
vejo
infinitamente reproduzido
uma máscara odiosa
a minha cara
sorrindo

mil vezes reflectida a dor que sinto
arder dentro de mim com toda a força do mundo

em cada reflexo
de cada vez que olho para a infinitude»_Grim